sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Análise Psicanálitica da Personalidade de Norman Bates - Filme Psicose


Norman Bates vive uma psicose profunda, isso se pode observar através de seu olhar, gestos e principalmente pelas suas atitudes. A psiquiatria conceitua esse comportamento de dualidade como Despersonalização do Eu, mas analisaremos através do olhar psicológico utilizando da teoria de Freud, mais necessariamente do Complexo de Édipo “mal resolvido” do personagem.

O pai de Norman faleceu quando ele tinha apenas cinco anos, onde ainda estava vivenciando a fase fálica. O Complexo de Édipo se caracteriza pelo amor excessivo ao sexo oposto e raiva pela figura do mesmo sexo. Nessa fase a criança se sente angustiada por ver que a figura com quem era completamente dependente - no caso de Norman, a sua mãe - não é apenas dele, não vive por ele, mas que existe outra pessoa – que nesse caso é o pai, com quem a mãe divide o seu amor, por isso advém a raiva. Mas, no final dessa fase a situação geralmente é resolvida e acontece a cisão com a figura oposta, que o genitor do mesmo sexo intermediará, mas isso não acontece com Norman. Pela morte de seu pai, a dependência com a sua mãe aumenta e ele se une completamente a ela. Norman e sua mãe viveram uma relação de dependência muito grande durante a infância do Norman, sua mãe era uma pessoa muito rígida e não se identificava com outras mulheres.

Depois de um tempo a sua mãe começa a viver um relacionamento com um homem e a raiva de Norman cresce absurdamente, onde faz a psicose acentuar em sua mente, causando a atitude de assassinato de sua mãe e de seu padrasto. Para não sentir remorso desenterra o corpo de sua mãe e o leva para a sua casa, vivendo com ele. Ele começa a viver uma dualidade muito grande, usando do mecanismo de defesa, a negação. Essa negação da morte de sua mãe é tão grande que ele age como se ela ainda estivesse viva, trazendo ela para a sua mente, emitindo falas de sua mãe através de si, vestindo como ela e até mesmo conversando com ela.

Com a chegada de Marion no Bates Motel, a personalidade de sua mãe dentro de si fica mais acentuada. Norman se sente fortemente atraído por Marion, mas se sente culpado por esse desejo, porque sua mãe não gostaria que ele sentisse isso e pela raiva excessiva que criou por outras mulheres – esta que surgiu através do controle de onipotência de sua mãe, transferindo esse conceito a todas as outras mulheres, com exceção de sua mãe. Com isso a mãe que se encontra dentro de si acaba assassinando Marion.

Após esse episódio, a sua mãe se instala completamente em sua personalidade - sendo que até esse momento ele ainda vivia a metade de sua personalidade - causando um quadro grave de psicose. Através da história de Norman, podemos verificar a importância de viver o Complexo de Édipo de forma correta e mesmo na ausência de uma das figuras genitoras nessa fase, é importante substituí-la de alguma forma ou conseguir fazer essa cisão de forma com que a criança consiga separar a personalidade da figura do sexo oposto de sua própria personalidade.




REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ELÓI, Jorge. Afinal, o que é o Complexo de Édipo?. Psicologia Free. Disponível em: < http://www.psicologiafree.com/areas-da-psicologia/psicologia_clinica/afinal-o-que-e-o-complexo-de-edipo/# >. Acesso em: 15 jun. 2014.


MUNIZ, Paula. Psicose: uma leitura psicanalítica em Hitchcock. Paula Muniz: especialista em psicanálise. Disponível em: < http://paulamuniz.wordpress.com/2010/09/20/psicose-uma-leitura-psicanalitica-em-hitchcock/  >. Acesso em: 15 jun. 2014.


PSICOSE. Direção: Alfred Hitchcock. Produção: Alfred Hitchcock. Roteiro: Joseph Stefano. Intérpretes: Anthony Perkins, Janet Leigh, Vera Miles, John Gavin e Martim Balsam. [S.1.]: Paramount Pictures, 1960. 1 filme (109 min) son., pb., 35 mm.

12 comentários:

  1. O que é viver o complexo de Édipo de forma correta?
    Crianças que não tem o pai ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fátima! Quando a criança entende que sua mãe (no caso dos meninos, que estamos falando), possui outro objeto de desejo, que não seja ele, a questão edipiana acontece realmente, ocorre a triangulação, isso de acordo com Freud. No caso de mães solteiras, é importante a criança entender que a mãe possui outra vida que não seja ele e que possua carinho por outras pessoas - de preferência outro afeto, se não for possível, outras formas de relacionamento ajudam, como por exemplo, amizades muito próximas. O real perigo acontece se a criança não vive a cisão com a sua mãe. Corre o risco dele entender que é o único na vida de sua mãe impedindo dela possuir outras fontes de relacionamentos, isso tende a ocorrer em futuros relacionamentos de sua própria vida também.
      Independente de figura feminina ou masculina, mães solteiras ou não, é importante que nessa fase a criança possa compreender que não é única na vida da mãe, é importante ocorrer essa cisão.
      Para meninas, complexo de Electra, da mesma maneira como dito anteriormente, só que a cisão deve ocorrer com o pai.
      Abraços!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá, no caso de Norman Bates não ocorreu a dissolução do complexo de Édipo né ? houve fase de latência ? E se houve qual seria ?

    Estou fazendo um trabalho da faculdade com esse filme, ficaria muita grata se pudesse me dar algumas dicas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? No caso do Norman não houve a resolução de seu Complexo de Édipo, considerando a colagem com a sua mãe e o ódio pelo seu pai que se estendeu até sua vida adulta, o que é natural apenas nessa fase. Todos os seres humanos passam por todas as fases psicossexuais, mas caso alguma delas não seja resolvida de forma saudável a pessoa acabará se fixando a ela, ou então a anterior a ela - aquela última que foi mais satisfatória. Existem essas duas formas de fixação - recomendo a leitura de "Estruturas e Clínica Psicanalítica" de Joël Dor. Essa fixação poderá ser vista na juventude e/ou na vida adulta, onde esse indivíduo já estará na fase genital - a última fase do desenvolvimento psicossexual, já que esse estágio se refere a vivência de relacionamentos saudáveis com parceiro apropriado. Em relação a fase de latência ele passou por ela sim - já que todos os indivíduos passam por todas, mas o filme não nos trouxe elementos sobre essa fase. Espero ter respondido a sua pergunta, volte sempre!

      Excluir
    2. Respondeu sim, muitíssimo obrigada!!

      Excluir
  5. Como você descreveria o complexo de Édipo na atualidade? como as crianças estão vivendo esse processo ? sendo que cada vez mais cedo elas já estão em creches, ou é bem comum serem criadas por mães solteiras, além de casais homossexuais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para começar a responder as perguntas precisamos retomar o significado de Complexo de Édipo, sendo que esse se caracteriza pelo amor excessivo pela mãe e o ódio/ciúmes pelo pai - no caso das meninas, o Complexo de Electra, e caso não seja resolvido esse conflito encontraremos algum tipo de anormalidade "não-benéfica" ligada a área de relacionamentos. Na atualidade as pessoas estão cada vez mais doentes e cada vez mais podemos observar a estrutura perversa em algumas pessoas. Alguns pais estão com muita dificuldade em criar seus filhos e há uma cobrança de obediência muito grande em nossa sociedade, com isso não-resoluções do Complexo de Édipo podem ser muito comuns de não acontecerem, mas acredito que hoje há mais distanciamento das figuras paternas do que aproximação propriamente dita - o que é necessário para essa fase. Enfim, na clínica podemos encontrar os dois casos. Em relação ao processo, as crianças se sentem muito confusas em relação ao que devem fazer de fato e o que está acontecendo ao seu redor, podemos observar em algumas situações falta de obediência, problemas de aprendizagem, dificuldade de formação de vínculos (o que é muito perigoso), patologias, dentre outras questões. Em relação a creches, a mães solteiras e casais homossexuais, isso não interfere de fato a não resolução do complexo de édipo ou pela formação de patologias, desde que haja afeto por alguma figura pelo menos em algumas horas por dia, considerando que o que é mais importante é a qualidade do que a quantidade. E se são mães solteiras é importante que haja pelo menos algum mentor que possa suprir essa fase e ajudar essa criança em tarefas masculinas - há coisas que realmente só quem passou por isso sabe de fato como é, para casais homossexuais da mesma forma, desde que haja afeto e também algum mentor durante essa fase (tio(a), professor(a), amigo(a) dos pais), já será de muita utilidade para concluir essa fase. Ou seja, o que as crianças (todos os indivíduos) realmente precisam é de amor, não temos dúvida nenhuma de que o amor saudável salva e fortalece vínculos, além de propiciar uma personalidade equilibrada. Espero ter respondido e volte sempre!

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. No início do texto vc menciona q o pai de normal morreu quando ele tinha 5 anos, mas ele não foi morto por Normam ja adolescente??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na adolescência, Norman pretendia matar o padrasto. Aos 5 anos ele matou o pai em um momento de surto, ou apagão como fala na serie Motel Bates.

      Excluir